Google+ Followers

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Feira do Livro 2013

Minha gente, não tem jeito! Todo santo ano eu tenho que visitar a Feira do Livro. É sagrado para mim desde criança. Chego a esperar com ansiedade. Adoro aquele clima tranquilo no meio da praça, da natureza. Gosto daquele monte de gente olhando os livros. Me dá esperança de um mundo melhor (ainda que isso seja só uma ilusão mesmo. Afinal, como o mundo poderá melhorar se os livros lidos, na maioria, são superficiais, né?). Adoro também os preços em conta, os sebos (que não tem nas livrarias comuns), os livros pouco comuns.
E tem mais: não saio de lá sem comprar pelo menos um livro. Se eu não adquirir um título novo, é a mesma coisa que não ter ido na Feira.
Este ano foi especial porque fui na Praça da Alfândega com a minha namorada, Patricia. Depois falo dela com mais detalhes mas é essa moça linda da foto ao lado.
Esse ano, a Feira teve uma novidade: a Estação da Acessibilidade (essas fotos foram tiradas lá). A Estação da Acessibilidade foi um espaço criado para que algumas instituições que trabalham com pessoas com deficiência possam divulgar os seus trabalhos. Foi legal ter estado lá porque encontrei vários amigos como o Alex (o da foto); a Liza; a Márcia; o Adilso e a Josiane (espero não ter esquecido de ninguém). Também foi bom para a Patricia se enturmar. O único problema desse espaço é que, apesar de falar sobre acessibilidade numa Feira do Livro, é que não tinha um livro em braille ou audiolivro lá. Incoerente.
Os problemas de acessibilidade da Feira continuam os mesmos: o piso da Praça da Alfândega é horrorosa; as bancas são muito altas para cadeirantes, não temos interpretes de libras nem livros adaptados para deficientes visuais e tetraplégicos, entre outras coisas. No ano passado, eu já tinha apontado os mesmos problemas: http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2012/11/falta-de-acessibilidade-na-feira-do.html .
Mas, no final das contas, o saldo foi extremamente positivo. E mantive a escrita: saí com três livros comprados e um que a Patricia me deu. Legal, né?

3 comentários:

  1. Parabéns pela energia linda entre você e a Patrícia. Que faz o bem, recebe de volta em maior proporção. O universo conspira em nosso favor. Sou Edméia Pedro Soares,artesã, mora em Vespasiano RMBH/MG, uma estudante de 43 anos, casada e tenho 2 filhos. Minha história com meu esposo foi mais ou menos assim com a tua, queremos ficar bem velhinhos juntos.
    Concordo com você quando fala que em grandes eventos os organizadores não se preparam para receber PNEs. Uma feira de livro onde não pensada para cegos e def.auditivos nos deixa desapontados. Amante da leitura que é curta minha recente página Ó Pocevê Artesanato Cultural e Pedagógico, nesta página postarei artesanatos ligados ao incentivo a leitura ( marcadores de livros), inclusão e pedagógicos. Certamente encontrarálá em breve algo que quando presentear a Patrícia receberá um belíssimo sorriso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos sempre a disposição para torcar informações, Edméia. Se quiser conversar por e-mail, o meu é gutrevisi@hotmail.com .
      Grande beijo!

      Excluir
  2. Quero trocar ideias com vocês. Sempre me preocupei com a acessibilidade para todos, em todos os sentidos. Abraços pro cês

    ResponderExcluir