Google+ Followers

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Campeonato de Natação em Gravataí

Minha gente, estou devendo este post há alguns dias. Há alguns dias, eu e outros alunos do paradesporto do IPA fomos para uma competição de natação em Gravataí. Foi no Clube Paladino. Saímos cedo (e como é duro acordar cedo no sábado. No domingo, ainda teve a passeata: http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2013/10/e-passeata-foi-um-sucesso.html). No carro do Tiago (professor e treinador), foi eu; o Eraldo; a Maura e o Marcelo. No outro carro, só o Edson e e a esposa e o Rogério. Só para chegar lá já foi uma aventura porque o clube fica numa região um tanto escondida. Confesso que fiquei pensando aonde iríamos almoçar já que a previsão era de que a competição atravessaria a tarde.
O clube é grande e organizado mas muito pouco movimentado. A unica área que tinha algum movimento era justamente o ginásio que tem a piscina. Esse ginásio inclusive lembra o do IPA. É uma piscina de 25 metros e quatro raias.
A competição foi dividida por idades sem levar em conta se a pessoa tinha deficiência ou não. Ou seja, nadei na categoria de 40 a 45 anos. A minha dúvida era se teríamos alguém de fora do IPA nadando, pessoas que eu não conhecia. Quando eu vi que tinha que nadar contra o Eraldo e o Marcelo, dois colegas de natação, logo descobri o resultado. Pela lógica, o Eraldo ganharia porque é deficiente visual; eu chegaria em segundo e o Marcelo, em terceiro. O Marcelo também é deficiente visual mas é gordo e tem pouca resistência física.
O começo da prova foi fora do comum porque eu e o Eraldo não tínhamos nos preparado direito. Começamos a nadar e, quando eu botava a cabeça para respirar, via o Marcelo nadando no mesmo ritmo que eu. Achei muito estranho. Fizemos a virada da prova e comecei a respirar para o lado de fora da piscina e aí não via mais o Marcelo. "E aí? Será que ele continua equilibrando a prova?". Bom, o que fiz, então? Troquei o lado da respirada e aí vi que o Marcelo ainda estava começando a piscina de volta. Ou seja, ele tinha cansado. Demorou um pouco mais para cansar do que eu imaginava mas cansou. Garanti o meu segundo lugar (o Eraldo realmente ganhou)  mas me esforcei gratuitamente pois ainda tinha a prova dos 50 metros costas que, teoricamente, eu ainda nadaria. Mas qual não foi a minha surpresa quando, sem explicação nenhuma, resolveram encerrar a competição. Valeu a experiência mas o evento foi mal organizado.
Viemos embora, então. Resolvemos almoçar na rua mas estávamos cansados pois acordamos cedo e, além disso, queríamos encontrar com pouco movimento mas não conseguimos. Desistimos da ideia e todos comemos nas suas respectivas casas.
À noite, quando botei as fotos no facebook, os meus amigos facebookianos curtiram bastante e me cumprimentaram pela medalha ganha. Até uma vizinha me ligou. Se eles soubessem a verdadeira história dessa medalha...
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário