Google+ Followers

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Historinha legal no shopping

Minha gente, no sábado, fui ao shopping com a Patrícia e passamos por uma situação muito bonitinha. Quando ela estava descendo do ônibus acessível, um menino bem loirinho (devia ter uns três anos) quis ver o elevador funcionando (aliás, demos sorte neste final de semana: passaram três ônibus por nós. Dois eram adaptados). Ficou com aquela carinha curiosa vendo a cena até a mãe chamar.
Brincamos um pouco com ele, nos despedimos e seguimos adiante. Logo depois, nos encontramos novamente e a mãe disse que tava explicando para ele que a Patricia andava de cadeira de rodas porque tinha um dodói nas pernas (aquela típica explicação para criança pequena). Resposta dele segundo a mãe: eu também tenho um dodói na perna (e mostrou um machucadinho nas pernas). Portanto, ele também queria uma cadeira de rodas igual a dela.
É claro que achamos graça da criança. E aí fiquei me lembrando como era frequente esse tipo de situação quando eu era mais novo, até a adolescência. A criança parava e te perguntava: "tio, cê tá dodói?" ou "tio, o que você tem na perna?". Mas, infelizmente, há muitos anos isso parou de acontecer e eu não sei o porquê. Hoje em dia, as crianças te olham mas não perguntam. Confesso que sinto falta daquele olhar inocente me perguntando o que eu tenho.

Um comentário:

  1. Filho, os meios de comunicação estão mais antenados do que nunca, as próprias crianças evoluíram demais e já não perguntam mais coisas para eles praticamente óbvias, de repente é até melhor que não perguntem do que ter que dar explicações as vezes difíceis de digerir, pois até nós não sabemos definitivamente a causa.
    Mas o importante é, BOLA PRA FRENTE, e é isto que estamos fazendo.
    Beijos do Pai

    ResponderExcluir