Google+ Followers

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Uma coincidência na minha vida

Meu Povo, nunca fui um cara supersticioso. Nunca ganhei nada em sorteios, nunca me fixei em nada disso. Acho, inclusive, que superstição demais atrasa a vida da pessoa porque ela fica dependente daquilo. "Ah, eu tenho que sentar na poltrona número tal. Senão terei azar". "Não usarei tal cor". "Não passo em tal lugar". Ah, não! Esse tipo de coisa não me pega.
Mas uma feliz coincidência tem marcado a minha vida nesses últimos anos. Eu nasci num dia 27 (no caso, em setembro). Acabei criando um carinho pelo número. E nos últimos cinco anos, dois momentos especiais aumentaram essa afetividade pelo 27. Comecei no meu atual emprego na secretaria estadual da saúde (e, se Deus quiser, o último) emprego num dia 27 de julho. E o meu namoro com a Pati iniciou num dia 27 de outubro.
Como disse no começo do texto, não me considero um cara supersticioso. Mas, por via das dúvidas, comecei a apostar no 27 quando jogo na loteria.