Google+ Followers

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Outro artigo do Jorge Amaro no CP

Mais um bom artigo do Jorge Amaro que eu editei e consegui colocar no Correio do Povo. Aqui está a íntegra do texto:

                                                   
                                                      Coração do meu Brasil


O que dizer dos nossos atletas paralímpicos após seus maravilhosos resultados em Londres? As 43 medalhas conquistadas são façanhas de verdadeiros heróis, que colocaram a alma em cada disputa. Os nossos atletas estavam lá, mostrando ao mundo a garra de mais de 45 milhões de pessoas com deficiência brasileiras.

O Brasil é, hoje, a 6ª economia do mundo mas, contraditoriamente, um dos países mais desiguais sendo que as pessoas com deficiência são aquelas que, entre os excluídos, as que mais sofrem, principalmente, pela falta de acessibilidade. O esporte não é a primeira necessidade para este segmento pois, antes dele, vem a saúde; a educação; a moradia e a assistência social. Mas é justamente o esporte que tem mostrado o quanto as potencialidades destas pessoas podem superar suas dificuldades.

Neste ambiente completamente inóspito, temos que destacar o protagonismo das pessoas com deficiência, primeiro, através da seriedade e comprometimento do Comitê Paralímpico Brasileiro. Depois, através das confederações e, por fim, das entidades locais, que mantém acesa a chama do nosso movimento paralímpico.

O esporte paralímpico brasileiro, de fato, aumenta sua legitimidade e amplia suas fronteiras. Mostra que este país tem jeito, sim. Mas há ainda um longo caminho a ser percorrido rumo a aceitação e a abrangência já alcançadas pelo esporte olímpico. Um exemplo disso é o descaso de nossa mídia televisiva. Os nossos atletas paralímpicos mostraram ao Brasil o verdadeiro significado de patriotismo e nos deixaram mais orgulhosos, seja não só pelas medalhas mas também pela luta para ser atleta num país que engatinha no processo de inclusão e reconhecimento da diversidade em suas políticas públicas.

O coração do meu Brasil pulsa forte e feliz com as alegrias produzidas em Londres por cada um dos membros de nossa delegação, medalhista ou não, pois, mais do que nunca, competir simbolizou vitórias de quem tem uma vida inteira de luta contra o preconceito e a invisibilidade.

Parabéns Ricardinho Alves, ouro no futebol de 5, Jovane Guissone, ouro na esgrima sobre cadeira de rodas, e Alexsander Celente, prata no Goalball, gaúchos que brilharam em Londres.



Jorge Amaro de Souza Borges é vice-presidente do Coepede (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Rio Grande do Sul)

Nenhum comentário:

Postar um comentário