Google+ Followers

quinta-feira, 14 de março de 2013

Eu e a religião

Deixa eu aproveitar a ocasião da nomeação do Cardeal Bergoglio para Papa para contar qual é a minha relação com a religião. Sou católico não praticante (fiz a 1ª comunhão mas depois nunca mais comunguei) e confesso que essas coisas de religião dificilmente me tocam. Já li a Bíblia e achei tudo muito monótono e as histórias que estão contadas ali, acho difícil que tenham acontecido exatamente daquela maneira até porque é um livro descritivo. São histórias que foram contadas por alguém, então dificilmente todos os detalhes são fielmente ao que realmente aconteceu.
Ao mesmo tempo, algumas poucas coisas ligadas a religião me tocam. Por exemplo, gosto do Padre Marcelo Rossi (mas não sou daqueles que ficam acompanhando toda hora). A Oração de São Francisco, eu acho linda (principalmente cantada pelo Fagner), entre outras coisas. Enão, eu acompanho a religião católica como um curioso (na grande maioria das religiões evangélicas, eu acho que só tem sem vergonha: Edir Macedo; R.R. Soares; Silas Malafaia, entre outros). Agora mesmo, por exemplo, estou lendo um livro antigo sobre o pensamento católico no Brasil. Já li a biografia de João Paulo II, o livro Ágape, do Padre Marcelo e outras leituras das mais variadas. E me sinto bem fazendo isso.
Falando em Papa João Paulo II, quando ele esteve em Porto Alegre, eu fui vê-lo na Avenida Farrapos quando ele passava de Papamóvel. Eu voltava de uma cirurgia e estava engessado. Fomos (a família toda) para a sacada de um edifício de um amigo do pai. Foi uma farra...
E como um curioso, acompanhei o Conclave. Claro que, como todo mundo, corri para a frente da televisão quando saiu a fumacinha branca. Estava ansioso para saber quem é o novo Papa. Gostei da escolha do nome: Francisco. Achei diferente, criativo. Mas também achei que ele é pouco sorridente para a função de Papa. O Papa é o líder máximo da igreja católica. Ele lida muito com as pessoas. E passou a impressão, pelo que vi e pelo que li, de que Bergoglio é um cara quieto, muito na dele. Esse lado pouco carismático talvez afaste um pouco mais os fiéis da igreja católica. Mudanças radicais na igreja? Não acredito. Gostaria de que as mulheres pudessem rezar missas até porque elas são muito mais emotivas e amorosas do que os homens e Deus é amor. Também gostaria que acabassem com o celibato. Se os padres nasceram de um relacionamento amoroso, por que não podem ter o seu? Mas, conhecendo bem a igreja católica, acho muito difícil que essas mudanças aconteçam.
Apesar disso torço pelo Papa Francisco, ainda que o que ele fará ou deixará de fazer não mudará nada na minha vida.  

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, você diz que leu a biografia de padres, papas e não vi você dizer que leu a biografia sobre o R.R Soares, Edir Macedo ou Silas Malafaia ou algum de seus livros. Como pode dizer q são sem vergonhas?? Conhece o trabalho deles? Faça uma comparação do trabalho que eles fazem com o trabalho que padres e papas fazem? Me enganei quanto a este blog, decepcionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Para facilitar a tua vida, aí está o comentário de novo: "Fernanda, muito simples: é só olhar as acusações que são feitas contra esses "pastores". São graves (Edir Macedo até já foi preso). Sou deficiente físico e sei que as "curas" que esses caras promovem é a mais deslavada mentira. Dar o salário e o cartão de crédito como "dízimo" da maneira como eles pedem só resolve o problema dos pastores e nunca dos fiéis. A Igreja tem erros? Claro (a pedofilia é um deles). Tem gente sem vergonha? Com certeza. Mas se eu tiver que confiar numa igreja, certamente será na católica que, na minha opinião, é a menos pior".

      Excluir
    3. Como jornalista que você é amigo, a investigação seria um ótimo caminho pra tirar alguma conclusão. Sua opinião é baseada em que? Em acusações infundadas? Você está desinformado pois as denúncias contra o Bispo Edir Macedo foram arquivadas por falta de provas. O seu trabalho é muito importante pra sociedade,é necessário imparcialidade ao escrever seus textos e pesquisa investigativa antes de fazer qualquer julgamento. Uma sugestão de amiga: vá a cada uma dessas igrejas e conheça o trabalho,faça entrevista com pastores, membros, enfim,faça um estudo e tire suas dúvidas. Não se baseie pelo o que você houve falar por aí. Isso é jornalismo de verdade ok ? Um abraço !!

      Excluir
    4. Fernanda, enquanto eu tava lendo a sua resposta, me veio a lembrança daquele "culto" da Igreja Universal no Maracanã em que os "pastores" carregavam sacos enormes de dinheiro. Isso que eu dei só um exemplo.

      Excluir